Fale com o WhatsApp do redenovo
Sagrado Rede de Educação / Notícias / Inteligência emocional: como desenvolvê-la na escola

Inteligência emocional: como desenvolvê-la na escola

Email Facebook LinkedIn Print Twitter 24 de Março de 2021

A partir do ano de 2020, as novas diretrizes da Base Nacional Comum Curricular - BNCC incluem nos currículos educacionais, de todas as escolas do Brasil, as competências socioemocionais, as quais estimulam o aluno a desenvolver uma inteligência emocional, aprendendo a administrar suas próprias emoções e sentimentos.

A necessidade do aprimoramento da inteligência emocional na escola surge da ansiedade, da insegurança, das dificuldades de concentração e do estresse cada vez mais comuns entre os estudantes. E, com essas emoções intensificadas pelas incertezas trazidas pela pandemia da Covid-19, é ainda mais importante encorajar discussões a respeito das competências socioemocionais dentro do ambiente educacional, uma vez que as crianças e adolescentes possam ter espaços para compreenderem o que está acontecendo e aprenderem a processar tantas informações.

Dessa forma, nesse texto, você irá entender mais a fundo o que é a inteligência emocional, como ela é desenvolvida nas escolas e seus benefícios para o desenvolvimento da educação.

Inteligência emocional: como desenvolvê-la na escola

O que é a Inteligência Emocional?

Resumidamente, a inteligência emocional é definida pelo estudioso Daniel Goleman como “a capacidade de identificar os próprios sentimentos e de outras pessoas”, permitindo uma melhora nos níveis de estresse e ansiedade, além do aumento da capacidade de tomar suas próprias decisões com o controle de suas emoções.

No ambiente educacional, essa competência tem o objetivo de fazer com que o estudante aprenda a lidar, de maneira eficaz e ética, com os desafios e situações do dia a dia, sendo na vida escolar ou pessoal, com sua família e amigos.

Ensino Fundamental: como garantir um melhor aproveitamento do aluno na escola
Como a escola e a família podem, em conjunto, garantir um melhor aproveitamento do aluno em cada etapa do Ensino Fundamental? Acesse o conteúdo!

Assim, a inteligência emocional pode ser dividida em 5 habilidades:

  1. Autoconhecimento: reconhecer e identificar as próprias emoções, avaliando a influência delas no comportamento;
     
  2. Autocontrole: saber controlar suas emoções, comportamentos e sentimentos em cada situação;
     
  3. Automotivação: conseguir orientar suas emoções para alcançar um objetivo, sem deixar que a ansiedade influencie no processo;
     
  4. Reconhecimento das emoções em outras pessoas: compreender o que o outro sente e ter empatia;
     
  5. Relacionamentos interpessoais: saber interagir com os demais, reconhecer a diversidade e ter respeito.

Como desenvolver a inteligência emocional na escola

A escola é um dos primeiros locais em que a criança começa a interagir com pessoas além da sua família. É onde ela inicia seus relacionamentos interpessoais e enfrenta situações as quais ainda não estava acostumada. Por isso, a seguir, listamos algumas atividades que podem ser realizadas no ambiente educacional para incentivar o desenvolvimento da inteligência emocional desde a educação infantil:

  • Estimular o diálogo: é preciso que o educador demonstre, através de conversas e dinâmicas, que não existem problemas em falar sobre sentimentos, podendo utilizar, também, histórias em que os alunos possam se identificar com o personagem;
     
  • Desenvolver atividades lúdicas e em grupo: assim, a criança tem a oportunidade de trabalhar em equipe, conhecer as diferentes ideias de seus colegas e exercitar suas habilidades de comunicação;
     
  • Aproximar a relação entre o educador e o educando: para que o jovem tenha confiança em compartilhar suas emoções, é fundamental que o educador ofereça abertura de diálogo e estreite os contatos;
     
  • Aprimorar a resiliência: durante o dia, algo pode não acontecer como o esperado e, por isso, é preciso que o educando aprenda a lidar com frustrações;
     
  • Estimular a empatia: aprender a se colocar no lugar do outro, de forma que os alunos possam compartilhar experiências em sala de aula. Uma ótima maneira de fazer com que as crianças compreendam o sentimento dos colegas é trabalhar com expressões faciais, solicitando para que elas identifiquem a emoção transmitida.

Benefícios de trabalhar a inteligência emocional na escola

Além de despertar nas crianças e jovens a consciência de suas emoções e das pessoas a sua volta, os resultados do trabalho com a inteligência emocional na escola reflete, também, na diminuição de casos de bullying, na melhoria do comportamento em sala de aula, no controle de impulsos nervosos e na capacidade de viver em sociedade.

TDAH: como identificar na infância?
Como diferenciar uma criança com o comportamento mais agitado de uma com TDAH? Confira algumas dicas da psicóloga Mariana Bonnás.

Na Sagrado - Rede de Educação, a prática pedagógica compromete-se inteiramente com a formação integral do aluno, oferecendo condições para que ele aprenda a lidar com as mais diferentes situações e desafios, aplicando suas competências cognitivas, sociais, emocionais e comunicativas.

Conheça mais sobre a proposta educativa e converse com a Unidade Educacional mais próxima acessando o site: matriculas.sagradoeducacao.com.br